• Instagram ícone social

Instagram | @meupontodepartida

Autora | Corinne Sciortino

Formada em Direito e com vocação para viajar pelo mundo ! Minha obsessão é provar as mais diversas gastronomias, me perder pelos destinos e sempre sonhar com as próximas viagens.

Meu Ponto de Partida Blog Roteiros e Dicas de Viagem

Meu Ponto de Partida Blog Roteiros de Viagem
  • Instagram - Grey Circle
  • Facebook - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
  • Pinterest - Grey Circle

Off-Broadway em Nova York: O eletrizante Fuerza Bruta!

13.10.2015

Viajamos em

ABRIL de 2012

 

Os espetáculos da Broadway são uma atração à parte para quem viaja para NYC.

Quando fui em 2009, assisti ao tradicional The Phantom of the Opera (O Fantasma da Ópera) - é o show que está em cartaz há mais tempo na Broadway! 

 

Não sei se foi porque estava muito cansada no dia, mas não curti tanto a experiência. Não me entenda mal, o musical é lindo - os efeitos, o figurino, a música, tudo é espetacular. Mas... confesso que tive uma dificuldade de entender a ópera em si - se eu soubesse da história antes teria sido mais fácil entendê-la. Para quem não entende inglês ou nunca ouviu a história antes, acho que fica realmente difícil entender o que está se passando. Além disso, é um espetáculo cansativo, longo e caro

 

Cena do The Phantom of the Opera (foto da internet)

 

 Se você não gosta muito de ópera ou de musicais, não aconselho assistir ao Phantom. Mas pode ser que outros espetáculos da Broadway sejam mais amigáveis ao bolso e a pessoas que não tenham tanta paciência assim com musicais...

 

Certamente, o Fuerza Bruta se encaixa nessa categoria (que na verdade é um off-broadway). Aliás, deveriam criar uma categoria só para o Fuerza Bruta de tão peculiar que é esse show-balada-peça-teatro. Enfim, é quase inexplicável! hehe Tem que ir para ver ;)

 

O Fuerza Bruta é bem baratinho comparado com shows da Broadway, custando cerca de $30 por pessoa. O  pequeno teatro que abriga a peça é o Daryl Roth que fica na Union Square. Lá dentro você paga mais se quiser guardar sua bolsa e casacos e se quiser beber algo (aconselho a não ir com mochilas/sacolas se não quiser deixar uma graninha boa para guardar as coisas). Tem um lounge com um barzinho onde você espera antes de chamarem para o espetáculo.

Localização do Teatro Daryl Roth

 

Todos entram juntos e imediatamente você percebe a primeira coisa incomum no espetáculo: não tem cadeiras! É isso mesmo - todos ficam de pé. Mas a peça é curta (cerca de 30/40 min) e tão envolvente que você nem cansa as pernas.

 

 

Durante o espetáculo, vários homens vestidos de preto vão guiando a platéia  de um lado para o outro durante as cenas que acontecem por toda a parte - primeiro no centro do salão, depois nas paredes, depois nos tetos..é uma loucura! A minha cena preferida foi a da lona de plástico repleta de água que desce pelo teto. Ali os atores se jogam e brincam com a água e a lona vai descendo até que você consegue tocá-la. 

 

A música é sempre alta e não há um diálogo sequer. Não tem bem uma história linear com acontecimentos ou personagens - acho que cada um acaba interpretando de uma forma a mensagem que eles querem passar com suas cenas impressionantes. Particularmente, a minha interpretação é que se tratava de uma reflexão sobre o homem moderno e a correria louca que é o nosso dia-a-dia contemporâneo.

 

 

No final, o DJ (é, tem um DJ comandando a "balada") espirra uma mangueira de água sobre os convidados. Fique atento se não quiser se molhar. Depois, todos começam a dançar. Realmente, é um show inesquecível e muito divertido! 

 

Beijos, 

Corinne

 

Please reload

Autora | Corinne Sciortino

Formada em Direito e com vocação para viajar pelo mundo ! Minha obsessão é provar as mais diversas gastronomias, me perder pelos destinos e sempre sonhar com as próximas viagens.

Espero que goste de acompanhar as minhas andanças por aí.

 Continue lendo... 

Please reload