• Instagram ícone social

Instagram | @meupontodepartida

Autora | Corinne Sciortino

Formada em Direito e com vocação para viajar pelo mundo ! Minha obsessão é provar as mais diversas gastronomias, me perder pelos destinos e sempre sonhar com as próximas viagens.

Meu Ponto de Partida Blog Roteiros e Dicas de Viagem

Meu Ponto de Partida Blog Roteiros de Viagem
  • Instagram - Grey Circle
  • Facebook - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
  • Pinterest - Grey Circle

A estação de esqui Cerro Chapelco

09.11.2015

Viajamos em

AGOSTO de 2014

 

Depois de um ano e meio sem esquiar (falando "a" experiente esquiadora kkk), já estávamos na fissura de praticar novamente esse esporte tão viciante. Para quem nunca experimentou, recomendamos muito! É claro que no começo é difícil e os tombos inevitáveis, mas vale a pena ao menos uma vez respirar o ambiente de uma estação de esqui - é uma experiência única!

 

#selfie na neve

 

E dessa vez em Cerro Chapelco não foi diferente...mesmo tendo passado por momentos, digamos, inconvencionais para uma estação de esqui.

 

Explico: tava um sol escaldante com um calor daqueles em plena montanha nevada. A neve rareou, as pistas mais próximas à base (leia-se as mais fáceis) fecharam e as que sobraram ficaram com aquela neve dura (gelo mesmo)...Enfim, faz parte! O que garanto é que mesmo assim vale a pena!

 

 Começando a subir o teleférico e a neve indo embora

 

Ficamos com a sensação, dessa vez - especialmente pelo mau tempo que pegamos - que investir para esquiar na América do Sul é, sim, um risco (ou seja, não é 100% de certeza de ter neve).

Maaaas, esquiar na América do Sul pode ser até quatro vezes mais barato do que esquiar na América do Norte (Europa, então, nem se fala!).

Por isso, a gente conclui que é um risco calculado. Para quem quer uma estação quase sem erro em termos de neve na América do Sul, sugerimos Cerro Castor em Ushuaia. Além de ter uma cidade interessante e linda perto da estação de esqui, tem um índice de neve bem maior que as demais!

 

Dia lindo na montanha

 

Escolhemos San Martin porque além de Chapelco ser uma estação que atrai muita gente, a cidade em si é encantadora, e essa é uma coisa que faz muita diferença! Nós não vamos muito com a cara desses resorts de esqui "all inclusive", em que se fica limitado àquela proposta e só. Gostamos mesmo de curtir uma cidadezinha diferente com clima de montanha, restaurantes dos mais diversos e casas aconchegantes de madeira. San Martin é exatamente assim! A cidade é linda e muito charmosa!

 

Cerro Chapelco fica a apenas 20 minutos de carro da cidade de San Martin

 

Quando fechamos o pacote com a Overtravel 360 (essa foi a primeira viagem em que fechamos um pacote com uma empresa especializada - confira o que falamos dela aqui), também estava incluído o transfer do hotel para a montanha e vice-versa. Para quem optar por fechar isso lá na hora, custa 80 pesos a ida e volta (na empresa Huemul).

 

Caminho de San Martin até a montanha: lindo!

 

Aluguel de Equipamento

O aluguel do equipamento também estava incluído no pacote. Alugamos no Al Borde e achamos o atendimento bem legal. Eles não têm uma barraquinha na base da montanha como outras lojas de aluguel de equipamento, o que a princípio pareceu um ponto negativo. Mas sabe que isso nem atrapalhou tanto? Tirando o primeiro dia e o último de ski quando retiramos e devolvemos o equipamento, achamos mais fácil levar o equipamento diretamente do hotel (até porque a van te deixa com tudo pronto lá na frente do cerro). Mas isso é bem pessoal: é só ver se você prefere ir com o equipamento até a van ou da barraquinha até o lift.

 

Loja de Equipamento Al Borde

 

A Montanha

Quanto à infraestrutura da montanha, a gente esperava encontrar algo mais bacana. É claro que a falta de neve atrapalhou bastante. Ainda por cima tivemos o azar de pegar um feriado e Cerro Catedral (estação de esqui de Bariloche) fechada por causa de ventos, falta de neve, etc. - ou seja, Chapelco simplesmente explodiu de gente! MUITA gente mesmo!

 

De cara enfrentávamos essa filinha para subir o primeiro lift: nada como um sol na cara com essa roupa, né?

 

Gôndolas em Chapelco

 

Nunca tínhamos visto tanta gente assim numa montanha! Não sabemos se foram pelos motivos que falamos ou azar mesmo, mas pegamos filas desgraçadas. E o calor também não foi agradável...Tinha gente esquiando até de camisa (t-shirt mesmo)! haha Surreal!

Fila na hora de ir embora (nesse dia nem dava pra descer até a base esquiando por causa da falta de neve)

 

A base da montanha sem neve!

 

Apesar dessas condições atípicas, nos divertimos bastante! A montanha é bem bonita, especialmente com a vista do Vulcão Lanin ao fundo.

 

No "cumbre": o vulcão é essa pontinha bem em cima da cabeça do Alan

 Na Cota 1700 

Uma pausa pra foto! hehe

 

#ficaadica tem um locker (guarda volumes) que descobrimos lá no Auntulauquen (Cota 1600). Custou somente 20 pesos por dia. Vale muito a pena para não carregar aquele pesinho chato da mochila durante o esqui.

 

Uma coisa que realmente não gostamos em Cerro Chapelco foi a sinalização - o mapa, por exemplo, é péssimo! Me perdi várias vezes. E não sabia se estava descendo uma pista verde, azul, enfim. E pra quem está começando isso faz total diferença. E reparamos que essa foi uma queixa comum entre várias pessoas com quem conversamos na van e na estação.

 

O mapa da montanha (preciso dizer que eu sou bem míope, então esses mapas assim zero me ajudam! kkk)

Plaquinhas logo quando você chega na montanha

Placas no início de uma pista

Tá vendo aquela bolinha verde? Aquilo que indica o nível da pista que você está

 

Comendo em Cerro Chapelco

Com relação aos restaurantes da estação, o maior de todos está na Cota 1600  - Auntulauquen - e outros menores espalhados por outras cotas acima. A comida não é nada especial, daquelas bem basiconas, o famoso "bate entope" (e carinhas!). A melhor refeição que tivemos foi no Bar Graeff (Cota 1700) - lá rola umas empanadas gostosas e um waffle de doce de leite tentação. Ah, tem internet wifi nos restaurantes também, mas nada demais.

 

Auntulauquen

O Graeff

 

Cervejinhas, Milanesa e Papas Fritas e Waffle de Doce de Leite

 

De uma forma ou de outra, para quem tem o nosso nível de esqui, a diversão é sempre garantida! Conhecemos pessoas que já estavam na oitava viagem seguida à San Martin. Certamente é um destino que vale muito a pena conhecer - mas com um pouco mais de sorte do que tivemos hehe 

 

Beijos, 

Corinne

Ímãs dessa Viagem: 

 

 

Please reload

Autora | Corinne Sciortino

Formada em Direito e com vocação para viajar pelo mundo ! Minha obsessão é provar as mais diversas gastronomias, me perder pelos destinos e sempre sonhar com as próximas viagens.

Espero que goste de acompanhar as minhas andanças por aí.

 Continue lendo... 

Please reload