• Instagram ícone social

Instagram | @meupontodepartida

Autora | Corinne Sciortino

Formada em Direito e com vocação para viajar pelo mundo ! Minha obsessão é provar as mais diversas gastronomias, me perder pelos destinos e sempre sonhar com as próximas viagens.

Meu Ponto de Partida Blog Roteiros e Dicas de Viagem

Meu Ponto de Partida Blog Roteiros de Viagem
  • Instagram - Grey Circle
  • Facebook - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
  • Pinterest - Grey Circle

Quatro dias na histórica Berlim (Parte 1)

26.02.2016

Viajamos em

ABRIL de 2014

 

 

Em abril deste ano, fomos para Berlim. Além da capital alemã, esticamos também até Praga para conhecer nossa primeira cidade do Leste Europeu (veja os posts de Praga aqui!)

 

  

Ficamos quatro dias inteirinhos na capital Alemã, mas adianto que não pareceu o suficiente frente ao grande número de atrações de Berlim! A cidade é grande e a sua perfeita rede de transportes ajuda muito na hora de explorá-la. Só prepare o bolso para o transporte mais caro de todas cidades europeias que visitamos (exceto Suíça hehe)

 

Saída do U-Bahn, o metrô de Berlim

 

Transporte Público em Berlim

Nos transportes públicos de Berlim, não há catracas, mas eventualmente passam fiscais à paisana pedindo os tickets. A multa é carinha se você estiver sem um. Nós decidimos não arriscar e não é que logo na primeira viagem de metrô fomos abordados por um fiscal? Ele até que era simpático e deu tudo certo - sem problemas - ufa!

 

Estação do Metrô

 

Tram 

 

Ainda no aeroporto Tegel, compramos o pacote de tickets que atendia às regiões A, B e C. Na verdade, para a maioria das atrações basta apenas a região AB, mas nós queríamos visitar o Campo de Concentração de Sachsenhausen que fica na região C.

 

Fomos nessa barraquinha de atendimento amarela do BVG dentro do aeroporto, próximo à saída e tivemos um atendimento impecável. Fila de menos de 5 minutos e os atendentes nos explicaram tudo direitinho em um inglês perfeito.

 

Horários dos ônibus que saíam do aeroporto

 

De lá, inauguramos nosso City Tour Card no ônibus X9 (veja os tipos e os preços dos bilhetes aqui!) que nos levou até uma estação do metrô - e de lá seguimos até o nosso hotel. É muito importante ter um mapa do metrô de Berlim em mãos - ô metrô complicadinho! São mil linhas, conexões, enfim - fica fácil de se perder.

 

Mapa do Metrô (U-Bahn) e Trem (S-Bahn): indispensável

 

Onde ficamos: Gat Point Charlie Hotel

O melhor bairro para se hospedar é o Mitte e achamos um hotel por lá através do Booking.com. O nosso hotel Gat Point Charlie ficava pertinho do Checkpoint Charlie, na região central da cidade.

 

Adoramos o hotel: excelente localização, acomodações modernas, atendimento eficiente. Só fugimos do café da manhã (15 euros por pessoa, caro!).

 

A fachada do hotel 

 

Detalhes do hotel: fachada, o quarto, a recepção e o banheiro - tudo aprovado! 

 

Vista do quarto: detalhe para a estrutura metálica que representa uma igreja completamente destruída durante a guerra

Localização do Hotel 

 

Checkpoint Charlie

Após o check-in no hotel, fomos andando até o Checkpoint Charlie, antigo ponto de controle americano que dividia a fronteira americana e soviética durante o período que o Muro de Berlim cortava a cidade.

 

Passeamos pela rua Friedrichstraße que corta o Checkpoint e nos deparamos com bastante comércio, várias barraquinhas de comida de rua e algumas ciganas também pedindo dinheiro. Muitos e muitos turistas nessa região!

 

Checkpoint Charlie 

O detalhe da placa: "pague para entrar, reze para sair!?"

 

O museu do Checkpoint - nós não fomos e lemos que não valia muito a pena...

 

De dia, fica lotado de gente e ainda tem que pagar para tirar foto com os soldados fake

 

Os sinais da antiga divisão da cidade estão por todos os lados, principalmente ao observar o traçado no chão no lugar que antes ocupava o Muro de Berlim. A cidade faz questão de deixar essas marcas visíveis para que não se esqueça nunca de todos os horrores que ocorreram antes, durante e após a Guerra.

 

Bem nessa linha passava o muro

 

East Side Gallery

De lá, seguimos para ver o mais marcante "monumento" de Berlim: o Muro. De metrô, descemos em uma das mais antigas estações de Berlim, a Warschauer Straße, para observar a East Side Gallery, grande galeria de arte feita no que restou do muro que dividia a cidade alemã.

 

Reichstag: O Parlamento Alemão

Começamos o nosso segundo dia no Reichstag. É preciso antes fazer uma reserva pelo site (clique aqui) para entrar no Parlamento Alemão. Marcamos a nossa ida às 9:45 e a fila ainda estava tranquila.

 

Gostamos muito da visita! Não se esqueça de pegar o áudio guide (que é de graça!). Ele é automático, quando você passa em determinado ponto ele já começa a falar e vai contando toda a história da cidade, do parlamento e da cúpula de vidro à medida que se sobe a rampa. Muito interessante: a arquitetura, a vista, tudo!

 

O Parlamento Alemão: Reichstag

 

Os painéis da estrutura absorvem a energia solar que alimenta todo o complexo 

 

Audioguide: Vale muito a pena!

Detalhes da vista da cidade

 

Essa parte de cima é aberta, mas mesmo assim a cúpula se mantém aquecida

 

Impressionante, né?

 

Portão de Bradenburgo

Fomos andando até o Portão de Bradenburgo que fica bem pertinho do Reichstag. Lindo! Depois voltamos à noite para tirar algumas fotinhas também. Nem pense em ir no Starbucks ali, super lotado. Fomos no Häagen-Dazs e não nos arrependemos.

 

 Chegando pelas costas do portão

 

A parte da frente

 

 

Memorial das Vítimas do Holocausto

Depois, andamos até o Memorial das Vítimas do Holocausto. Mais uma marca da guerra.

 

Postsdamer Platz

Ainda visitamos a Postsdamer Platz: absolutamente adoramos esse lugar. Voltamos de noite também. É lindo, lindo... Claro que não se trata de imagens clássicas, mas de um lugar completamente reconstruído e tomado pela modernidade. Ao visitar a Topografia do Terror, podemos perceber que Berlim após a guerra ficou em destroços, então impressiona a retomada em tão grande estilo.

 

 

Tem vários restaurantes bacanas na região, além do Fantástico Sony Center que fica logo ao lado. Vale um passeio por ali.

 

Modernidade em Berlim no Sony Center

 

 

Alexanderplatz

Íamos acabar o dia por ali depois de sentir um cansaço nas perninhas..mas o roteiro estava tão legal que esticamos até a Alexanderplatz, no lado oposto da cidade. Fomos de metrô e curtimos essa feirinha de páscoa que estava montada na praça. Com certeza esse foi o lugar que mais gostei de Berlim - várias lojas, um clima super legal, essa feirinha era o máximo (eu sou suspeita, porque amo feiras de rua, né!).

 

Chegada em Alexanderplatz pelo Metrô 

 

Comidinhas na feirinha

O pessoal vê um solzinho e já vai se esticar. Eu aproveitei e fiz o mesmo :)

 

O clima é de relaxamento total

 

Essa é a Berliner Fernsehturn - Torre de TV de Berlim

 

 

"Fonte" fake 

 

 

Olha o clima com a musiquinha, um choppinho Berliner básico e muita festa...

 

 

Voltamos várias vezes! Até porque por lá ainda tem um grande complexo de lojas, com o Shopping Alexa (H&M, Fossil, Media Markt - giganteee de eletrônicos - e muitas outras). Brigando com a Media Markt, há a Saturn, outra giga de eletrônicos. Vale a pena ir nas duas para comparar os preços. Compramos um fone da Skullcandy na Saturn e outros acessórios na Media Markt.

 

 O Shopping

 

Alguns preços no Media Markt: detalhe pro tamborzinho "Brasil" que eles devem ter usado muito depois do 7x1

 

Alexa por dentro

 

Essa é a loja da Saturn, fora do Shopping

 

Ainda ali na praça, fica o Relógio Mundial (Weltzeirtuhr).

 

A cor dele muda dependendo do lado em que você vê o relógio

 

Foco para o nosso horário

 

Gendarmenmarkt

Ainda nesse dia, fomos na linda Gendarmenmarkt. Comemos no Augustiner, tradicional restaurante de comida alemã por ali. Nossa sobremesa foi na tentadora chocolateria Fassbender & Rausch. 

 

Deutscher Dom na Gendarmenmarkt

 

The Konzerthaus Berlin: Sala de Concertos

 

Bacana a alegria das crianças e as bolinhas de sabão :)

 

Babelplatz e Unden den Linden

Satisfeitos depois de tanta comida, esticamos mais um pouquinho até a Babelplatz (esse dia não acaba nunca, né? haha), praça da Universidade Humboldt (a do Einstein, Schopenhauer, Savigny, Hegel e tantos outros) e onde foram queimados muitos livros pelos nazistas. 

 

Ali cruzamos a grande avenida Unden den Linden, mas não gostei - está cheia de obras, o que atrapalhou um pouco a vista e o passeio.

 

Humboldt-Universitat zu Berlin

 

Unden den Linden sem graça com os tapumes

 

E finalmente voltamos para o Hotel descansar as perninhas depois de tanta andança...Ainda fizemos uma paradinha básica nesse supermercado 24hs para comprar um lanchinho (não tem coisa melhor: gostoso e barato!)

Como sempre: presunto de parma, queijo de cabra e pão - nossa combinação preferida nos supermercados europeus!

 

No próximo post, o roteiro dos nossos últimos dois dias na capital alemã, com um pouquinho mais de cultura, história e comprinhas.

 

Beijos, 

Corinne

 

Ímã dessa Viagem:

 

 

 

Please reload

Autora | Corinne Sciortino

Formada em Direito e com vocação para viajar pelo mundo ! Minha obsessão é provar as mais diversas gastronomias, me perder pelos destinos e sempre sonhar com as próximas viagens.

Espero que goste de acompanhar as minhas andanças por aí.

 Continue lendo... 

Please reload