• Instagram ícone social

Instagram | @meupontodepartida

Autora | Corinne Sciortino

Formada em Direito e com vocação para viajar pelo mundo ! Minha obsessão é provar as mais diversas gastronomias, me perder pelos destinos e sempre sonhar com as próximas viagens.

Meu Ponto de Partida Blog Roteiros e Dicas de Viagem

Meu Ponto de Partida Blog Roteiros de Viagem
  • Instagram - Grey Circle
  • Facebook - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
  • Pinterest - Grey Circle

Quatro Dias na Linda Paris (Parte 1)

24.03.2016

Na nossa viagem para a Europa em Setembro de 2013, Paris foi a cidade em que ficamos mais tempo (4 dias e meio). É uma cidade com muitas, mas muitas atrações e realmente foi difícil e cansativo conhecer tudo o que queríamos - sem contar que muita coisa acabou ficando fora do roteiro (por exemplo, o Museu D'Orsay e o Centre Pompidou).

 

Para falar a verdade, todo aquele encanto com Paris não foi assim, digamos, "concretizado".

 

 

 

 

 

 

Centre Pompidou: uma das atrações que ficou de fora do nosso roteiro (só vimos por fora)

 

 

Não me entendam mal: Paris é linda, as atrações são fantásticas, mas não senti a cidade acolhedora que achei que fosse encontrar, achei uma cidade fria, cansativa (haja pé - as caminhadas eram eternas!) e cheia de pegadinhas para o turista (vários pickpockets e pessoas com armadilhas na rua). As lojas e bistrôs tinham um preço muito mais #surreal que o de Roma, cidade que estávamos antes. E não se trata só de preço, porque Londres é ainda mais cara. Mas sabe aquela sensação de estar sendo roubado só porque você é turista?

 

 

 

Mas deixando esses detalhes de lado, a cidade é LINDA. Sem dúvidas eu voltaria para Paris. Mas para passear com calma, sem ter que bater cartão (apesar de achar que tudo que vimos vale muito a pena).

Resumindo: é evidente que Paris é um lugar que deve estar em qualquer lista de lugares a conhecer, mas acho que Paris é daquelas cidades que fica melhor depois da segunda ou terceira visita ;]

 

 

 

 

 

 

Da janela da Easyjet

 

 

Como chegamos na cidade

 

Chegamos em Paris de Roma pela Easyjet num voo bem barato (apesar de não ser o voo mais confortável da vida...). Chegamos em Orly, o aeroporto mais próximo da cidade, e de lá pegamos o metrô Orlyval + trem RER B. Ainda no aeroporto, você paga a passagem (9,60 euros). Tem também a opção do ônibus Orlybus por 11,50 euros

 

Mapa do Orlyval

 

 

Onde ficamos

 


Os hotéis em Paris são ridiculamente caros (e nem sempre há um bom custo-benefício), então a nossa solução foi alugar um apartamento através do AirBnb. Conseguimos economizar valiosos euros e a experiência foi muito legal. O apartamento ficava próximo à estação de metrô Nation, uma das últimas da linha do metrô. 


A região é muito legal, muitos restaurantes por perto, além de um Carrefour, uma farmácia Monoprix, uma das melhores boulangeries de Paris, a Eric Kayser, e a uma caminhada de 15 minutos da região da Bastille.

 

Mas o metrô é crucial: nem pense em se hospedar, seja onde for, sem um metrô pertinho! 

 

Vista do nosso apartamento em Paris 

 

 

 

 

Tempo e Deslocamento

 

Falando nisso, o metrô de Paris é excelente. Juntamente com as conexões às linhas de trem (o RER), você irá para qualquer lugar da cidade. Adorei esse trem do RER de dois andares!

 

 

#ficaadica: economize comprando a opção de 10 bilhetes de metrô por 12 euros! Só não se esqueça de ficar com o ticket até sair da estação, pois você precisa dele para destravar a catraca ao sair - sem contar que será multado se a fiscalização pedir pelo ticket e você estiver sem ele. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O que vimos

 

 

Torre Eiffel

 

A primeira coisa que fizemos assim que chegamos em Paris, foi espiar a Torre Eiffel. Realmente...é impressionante a vista pela primeira vez. Linda! Ainda mais de noite, toda iluminada...

 

 

 

Nós passamos por baixo, passeamos pelos lados e andamos até o Trocadero para tirar boas fotinhas. A vontade é de ficar ali um tempinho admirando a torre...muitas pessoas estavam fazendo piquiniques com vinho e queijos por ali..apesar do frio! 

 

 

Clique aqui para ler a Parte 2 do nosso Roteiro por Paris ! ~

 

 

 

 

Na falta do piquinique, comemos um crepezinho nas barraquinhas..muito bom!

 

 

Infelizmente, a sensação de segurança que tivemos, ainda mais nesses locais turísticos, não foi como em outras capitais da Europa que visitamos. Aliás, vimos alguns assaltos. Nesse dia à noite no Trocadero, um pickpocket levou a carteira de um turista que parecia estar desesperado, correndo atrás do cara sem muito sucesso. Deu muita pena! Já imaginou passar por um contratempo desses durante uma viagem tão sonhada?

 

 

Onde comer em Paris: a sofisticação do gosto e dos preços franceses ~

 

 

Museu do Louvre

 

Amanhecendo o novo dia, fomos para outro famosíssimo cartão postal da cidade: o Museu do Louvre.

 

Mas, antes, tínhamos que pegar os tickets que compramos pela internet lá na Fnac, que ficava dentro de um shopping, o Forum des Halles (muito legal, por sinal...voltamos lá para fazer umas comprinhas depois).

 

Quando chegamos na Fnac, uma surpresa: o sistema deles estava fora do ar. Tipo, OI? Como assim? E os nossos tickets? A mulher nem falava inglês, mas deu pra entender que por eles tínhamos que voltar outro dia. Nada de tickets. Ainda ficamos um tempão tentando desenrolar, porque nem o dinheiro eles queriam nos pagar de volta! Enfim, depois de um certo barraco descobrimos uma funcionária de Portugal e conseguimos ter sucesso pra ter o dinheiro devolvido.

 

Depois de 2 horas perdidas, estávamos preocupados de achar filas enormes no Louvre. Mas não é que deu tudo certo? Chegamos na famosa pirâmide de vidro e nem sinal das monstruosas filas.

 

 

Para conhecer o Louvre, nem pense em ir sem se planejar antes. Você vai ficar tonto de tanta coisa ! O museu é gigantesco e é certo se perder. Acho que precisamos de uma vida para entender e curtir tudo aquilo. No nosso caso, tínhamos interesse por obras pontuais e conseguimos achar um roteiro no próprio site do Louvre com as principais obras do Museu que nos atendia completamente, com direcionamento e tudo para irmos caminhando por dentro do museu.

 

Mona Lisa e sua multidão, a pirâmide invertida, a Odalisca, a sala com a Coroação de Napoleão e o teto de vidro

 

As inexistentes filas, as Três Graças, a Vênus de Milo, a Balsa de Medusa, corredor do Louvre e a Coroação de Napoleão no detalhe

 

 

 

Pont des Arts

 

De lá, fomos deixar o nosso cadeadinho na famosa Pont des Arts (update: os cadeados da ponte foram retirados devido ao comprometimento de sua estrutua !) 

 

 

Foi difícil achar um lugar para encaixar o cadeado. São tantos, tantos. No final achamos um cantinho. O visual da ponte é lindo demais. É tudo aquilo que se imagina...

 

<3

 

 

Arco do Triunfo & Champs Elysees

 

De lá resolvemos andar até o Arco do Triunfo (e que bela caminhada - teria sido melhor ir de metrô !), passando por alguns outros pontos turísticos e subindo a Champs Elysees.

 

Champs Elysees com o Arco do Triunfo ao fundo

 

 

No meio do caminho, sentamos para dar uma descansada numa mureta ao lado da entrada do Parque Tuileries (não entramos, mas fica pra próxima viagem pq parece ser bem legal !)

 

E foi aí que um homem nos abordou com o tal do "golpe do anel". O cara passou na nossa frente e sem sequer notarmos ele colocou um anel no chão e chamou a nossa atenção, perguntando se era nosso. E aí que está: se você for bobo o suficiente para tentar ser esperto e dizer que o anel é seu, ele irá te enrolar para te dar o anel, até pedir uma recompensa, e quando você der bobeira, um comparsa irá pegar suas coisas pelas suas costas. Nós, nem sequer pestanejamos, como já sabíamos que se tratava de um golpe, levantamos e fomos embora. Enfim, se fossemos roubados seria pior, mas ainda assim é ultrajante.

 

 

 

-- Veja todos os posts sobre a França --

 

 

 

Beijos,

Corinne

 

Imã dessa viagem:

 

 

Please reload

Autora | Corinne Sciortino

Formada em Direito e com vocação para viajar pelo mundo ! Minha obsessão é provar as mais diversas gastronomias, me perder pelos destinos e sempre sonhar com as próximas viagens.

Espero que goste de acompanhar as minhas andanças por aí.

 Continue lendo... 

Please reload