• Instagram ícone social

Instagram | @meupontodepartida

Autora | Corinne Sciortino

Formada em Direito e com vocação para viajar pelo mundo ! Minha obsessão é provar as mais diversas gastronomias, me perder pelos destinos e sempre sonhar com as próximas viagens.

Meu Ponto de Partida Blog Roteiros e Dicas de Viagem

Meu Ponto de Partida Blog Roteiros de Viagem
  • Instagram - Grey Circle
  • Facebook - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
  • Pinterest - Grey Circle

Dois dias na impressionante Amsterdam (Parte 1)

05.04.2016

 

 

Primeiro Dia em Amsterdam

 

O tempo que ficamos em Amsterdam certamente foi muito pouco, mas deu pra sentir o gostinho dessa cidade que é sinônimo de modernidade, liberdade e loucura (loucura organizada, por sinal)! 

Antes mesmo de sair já queríamos marcar a nossa viagem de volta para Amsterdam, que nos impressionou muito positivamente !

 

 

Clique aqui para a Parte 2 do Roteiro em Amsterdam ~

 

 

 

 

 

 

Como chegamos na cidade

 

Chegamos em Amsterdam vindos de Bruxelas diretamente na estação Amsterdam Central.

 

Essa estação fica posicionada de forma bem central na cidade e é possível ir para o Centro, região de maior movimentação, a pé.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tempo e Deslocamento

 

Ficamos dois dias e meio na cidade. Na verdade foram dois dias, porque esse "meio dia" passamos dormindo e descansando da viagem anterior!

 

Chegamos cansados do pit-stop em Bruxelas e fomos direto para onde ficamos hospedados (lembrando que ainda naquele dia tínhamos acordado às 5 horas da manhã em Londres para pegar o trem para Bruxelas, ufa!).

 

 

O transporte em Amsterdam é fantástico! Não tivemos problema nenhum para chegar no Centro em 5 minutos através de um trem de superfície (ok! 10 minutos, mas era um passeio e não uma viagem, né?).

 

 

 

Bilhete de uso ilimitado por 24h (7,50 euros)

 

Na verdade, o meio de transporte mais utilizado são as bicicletas. Nos impressionou o tamanho dos bicicletários, o respeito aos ciclistas e a organização das ciclovias. É tanta bicicleta que os pedestres têm que ter cuidado hehe

 

Sinal especial para as bikes

 

Muito fofo, gente! hehehe

 

 

 

Onde ficamos

 

Ficamos em uma região não tão turística e fora do Centro de Amsterdam chamada Borneo Island, na casa de uma amiga da minha mãe (Obrigada, Lucrécia e Herko!). O lugar é muito conhecido pelos fãs de arquitetura moderna e realmente é bem diferente do usual. Cercado por diversos canais, as antigas docas são conectadas por pontes estilosas. Parece que cuidaram de todos os detalhes! 

 

Foto da nossa janela - paisagem e livro lado a lado

 

Prédio "Rabo de Baleia"

 

 A paz desse lugar é celestial e essa ponte é incrível!

 

Dentro d'água?

 

Ah! E a violência? Preciso falar? Bem, chega a ser constrangedor pra quem vem do Rio. Foi um dos lugares que nos sentimos mais seguros. Voltamos a pé do Centro anoitecendo, acabamos nos perdendo e, mesmo assim, nos sentimos totalmente seguros. Só cuidado com os batedores de carteira de sempre lá no Centrão...

 

 

 

O que vimos

 

Bem, assim que chegamos ao Centro, fizemos aquele reconhecimento do terreno e ficamos impressionados com a beleza da cidade. 

 

 

 

 

 

 

 

Centro Histórico

 

Beurs van Berlage - detalhe da ciclovia e dos bicicletários

À esquerda, o Palácio Real - ainda é uma residência oficial da realeza

 Dam

 

 

 

Coffee Shops

 

Quando se fala em Amsterdam é quase unânime o que vem à cabeça: maconha. Apesar de não fumarmos, a gente, obviamente, tinha que conhecer as famosas coffee shops (onde é permitido o consumo da droga). A recomendação inicial era pelo Bulldog (o coffee shop mais antigo de Amsterdam) e o Dampkring (mais frequentado pelos locais).

 

A primeira Coffee Shop de Amsterdam

 

 

Escolhemos o Bulldog. O ambiente é tranquilo e obviamente tinha muita gente fumando maconha, mas engana-se quem pensa que é só isso. O Alan pegou um chocolate quente, que estava muito bom! Outra coisa interessante que não sabíamos: é proibido o consumo de bebidas alcoólicas dentro dos coffee shops.

 

Interior da Coffee Shop do Bulldog com sinal ao fundo proibindo a bebida alcoólica #marolabraba

 

O chocolate quente

 

Um casa de câmbio sugestiva...

 

Mas parece que existem umas exceções a essa regra do álcool. Andando pela cidade, perto de Chinatown (que fica bem ao lado do Red Light District), descobrimos uma coffee shop que permitia o consumo de bebidas alcoólicas. Dentro da nossa caretice, foi a deixa para nos sentirmos em casa! hehehe

 

"Smoke Weed and Drink"

 

Olha aí a velha e boa cerveja, agora na versão holandesa. Esse chopp da Amstel tava bom demais!

 

 

 

 

Red Light District

 

E o Red Light District? Impressionante como o conservadorismo babaca passa longe de Amsterdam. As "meninas" se exibem sem nenhum pudor para qualquer pretenso consumidor. As fotos são proibidas, mas as vitrines acabaram saindo em alguns de nossos registros.

 

Contradições: as "vitrines" à direita e uma igreja logo ao lado na esquerda

 

Elas se exibem através das vitrines 

Mictório ao ar livre

 

Nem nos ligamos muito nas compras por lá...mas a cidade é considerada um lugar caro para compras. No Centro, a rua Kalverstraat é extensa e tem diversas marcas.

 

 

Outra curiosidade da cidade são os mais diversos museus espalhados por Amsterdam..Tem de tudo! Museu da Tortura, das Tulipas, do Sexo, disso, daquilo...

 

 

Mas museus, museus mesmo, a gente deixou para o dia seguinte. No próximo post um pouco sobre o Museumplein, a casa de Anne Frank e outras atrações de Amsterdam no nosso último dia nessa fantástica cidade!

 

 

Resumão da Viagem:

 

Quando fomos: Setembro de 2013

Quanto tempo: 2 dias na cidade e 16 no total

Clima: média de 20 graus

ímã da viagem

 

 

Beijos,

Corinne

 

Quer saber mais sobre a Holanda e Amsterdam?

> Confira esses posts da Juliana, nossa parceira do Blog e autora do Turistando.in, com o roteiro incrível que ela fez pelo país !

 

 

 

Please reload

Autora | Corinne Sciortino

Formada em Direito e com vocação para viajar pelo mundo ! Minha obsessão é provar as mais diversas gastronomias, me perder pelos destinos e sempre sonhar com as próximas viagens.

Espero que goste de acompanhar as minhas andanças por aí.

 Continue lendo... 

Please reload