• Instagram ícone social

Instagram | @meupontodepartida

Autora | Corinne Sciortino

Formada em Direito e com vocação para viajar pelo mundo ! Minha obsessão é provar as mais diversas gastronomias, me perder pelos destinos e sempre sonhar com as próximas viagens.

Meu Ponto de Partida Blog Roteiros e Dicas de Viagem

Meu Ponto de Partida Blog Roteiros de Viagem
  • Instagram - Grey Circle
  • Facebook - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
  • Pinterest - Grey Circle

Dois dias corridos na cinza Milão

23.01.2016

 

Viajamos em

dezembro de 2014

 

Começamos nossa viagem do final do ano por Milão. Ficamos pouquissímos dias na cidade e já seguimos viagem para a Emilia Romanha, Toscana e Verona

 

 

 Natal em Milão

 

Chegando do Aeroporto: Malpensa Express

Malpensa é o maior aeroporto de Milão e um pouco afastado da cidade (um táxi custaria cerca de 80 euros!). Com isso em mente, decidimos pegar o trem (Malpensa Express) que custa 11 euros e te deixa no centro da cidade (na estação de metrô de Cadorna) em meia hora.

 

Malpensa Express

 

Indo para Linate: X73 Express Linate

Na volta, nosso vôo saia do outro aeroporto da cidade, o Linate. Como não tem trem até lá, fomos de ônibus mesmo, com o X73 Express Linate, que chega rapidinho no aeroporto...sem estresse!

 

X73 Express Linate

 

Região de Porta Venezia: onde nos hospedamos

Em Milão nos hospedamos na casa de uma amiga da minha mãe (Grazie, Iolanda!) na região de Porta Venezia. A região é cheia de lojas, bem movimentada, mas tem que pegar o metrô pra chegar no centrinho da cidade. Gostei do bairro, mais residencial e menos turístico, mas com bastante comércio.

 

 

Metrô em Milão: cartão bigiornaliero (48hs por 8,25)

Como ficamos em uma região mais afastada do centrinho da cidade, decidimos comprar o ticket de metrô que vale por dois dias (48hs) e custa cerca de 8 euros. Achamos que valeu a pena!

 

 

 

Centrinho histórico-turístico: Piazza del Duomo e Galeria Vittorio Emmanuele

O burburinho de Milão começa na Piazza del Duomo, onde uma das mais bonitas e imponentes catedrais da Europa se localiza. A entrada é gratuita – por favor, entrem ! O Duomo é impressionante e vale uma visita por dentro...

 

 

Logo ao lado do Duomo está a Galeria Vittorio Emmanuele, uma galeria cheia de lojas de marca.

 

Dizem que se você gira o tornozelo nesse touro tem sorte!

 

 

Como de costume nessa época de final de ano, tinha um mercadinho de natal na praça. Não comemos nada, mas estava com cara boa!

 

Acabamos indo em uma pizzaria do lado, a Spizzico. A pizza até que era bem deliciosa, sabia? Me surpreendeu. E o melhor: wi-fi grátis (o que não era tão fácil de encontrar em Milão..)!

 

 Spizzico (wi-fi username: Autogrill Free)

 

Nessa região existem várias lojas como H&M e Zara, além da La Rinascente, uma loja de departamento bem legal (mas bem exclusiva e cara!). Fiquei de olho nas comidas lá no último andar...dá vontade de levar tudo ! Foi por lá que almoçamos.

 

 La Rinascente

 

 Delícias no último andar da Rinascente

 

Almoço frustrado no Obica 

Tínhamos lido na internet muitas reviews fantásticas sobre esse restaurante que fica no último andar da Rinascente. O restaurante tem uma proposta Mozzarella Bar, com detaque para os vários tipos de mozzarella de búfula. Fomos super animados assim que chegamos na cidade e de tão animados ainda não estávamos sentindo o jet leg da viagem.

 

Passando frio no terraço do Obica

 

Quando chegamos lá fizemos a péssima escolha de sentar do lado de fora do restaurante – que tinha uma vista incrível – mas tava um friooooo do cão. Logo, acho que não aproveitamos tanto o momento, por causa do frio e do cansaço que foi chegando.

 

O restaurante tem um clima muito milão – bem executivo, sabe? A mozzarella realmente estava uma delícia...o vinho, nada de especial, mas bom. Depois, ainda com fome e já sentados do lado de dentro do restaurante (não resistimos!), pedimos um gnocchi de trufas brancas. Muito gostoso!

 

Ah! As pizzas de lá parecem ser muito boas!

 

 A "dolorosa"

 

Achei a experiência legal e recomendo, mas não vá com expectativas tão altas e prepare o bolso (foi bem carinho! Custou 99 euros).

 

Perambulando pelas ruas desertas de Brera: Via Montenapoleone e as vitrines de natal

Brera é o bairro que melhor reflete o feeling fashion de Milão. Várias lojas de estilistas renomados, vitrines lindamente decoradas e muito luxo na principal rua, a Via Montenapoleone. Fomos na manhã do dia 26 – que é feriado de Santo Stefano na Itália – e estava tudo fechado. Foi meio deprê até, só tinha a gente na rua hehe Mas como não damos muita bola para marcas de luxo e moda, não fez tanta diferença para a gente. Mas, se você gosta, não deixe de dar uma passada por lá.

 

 

Um almoço tipicamente italiano na casa dos meus tios em Moncucco

No dia de natal, fomos almoçar na casa dos meus tios, que moram em uma cidadezinha perto de Milão chamada Moncucco. Foi um típico almoço italiano em família, adoramos! :)

 

 

Descontos nas lojas pós Reveillon

Milão também pode ser um paraíso para compras para quem não tem os bolsos tão recheados assim, principalmente na época de Saldi (descontos) pós natal e ano novo. Quase todas as lojas estavam em liquidação!

 

Viajando de trem a partir de Milão para Bolonha

Compramos nossas passagens de trem diretamente pelo site da Trenitalia. Eu não gosto dos sites que terceirizam esse serviço, como o Raileurope, porque os preços sempre estão absurdamente mais caros! As promoções mesmo você encontra no site local da companhia de trem, e dessa vez não foi diferente, encontramos super preços! A nossa passagem até Bolonha custou míseros 9 euros e foi ótima ! Aliás, nossa experiência com Trenitalia é uma das melhores, recomendo muito.

 

 

#ficaadica: compre uma passagem com os trens “freccia” (frecciarossa, frecciaargento ou frecciabianca) que são os trens de alta velocidade. Os outros trens locais e regionais são bem mais lentos e nem sempre tem lugar para se sentar.

 

A estação de trem de Milão é linda! E tem várias lojas...até uma Media World (rede de eletrônicos) bem completa.

 

 Comemos no "Bistrot Centrale" na estação: bem legal e gostoso (e com wi-fi grátis!)

 

 

E foi assim que nos depedimos dessa cidade que, confesso, não nos conquistou muito. Milão é uma mistura do já conhecido clima acizentado - formal - executivo - fashionista e também uma cidade grande, tumultuada e com os mesmos problemas de todas as enormes metrópoles do mundo - talvez por isso ela não tenha nos impressionado tanto. De qualquer forma, a Piazza Duomo por si só sempre vale uma espiada ;)

 

Beijos, 

Corinne

 

Ímã dessa Viagem:

 

 

Please reload

Autora | Corinne Sciortino

Formada em Direito e com vocação para viajar pelo mundo ! Minha obsessão é provar as mais diversas gastronomias, me perder pelos destinos e sempre sonhar com as próximas viagens.

Espero que goste de acompanhar as minhas andanças por aí.

 Continue lendo... 

Please reload